sábado, 26 de julho de 2008

CGD quer comprar Hospital dos SAMS

-
Saúde: Trabalhadores Sociais Democratas preocupados com possível alienação de equipamento do SAMS
-
O secretário-geral dos Trabalhadores Sociais Democratas (TSD) enviou uma carta aos bancários social democratas a alertá-los para a possível alienação dos equipamentos médicos dos SAMS do Sindicato do Sul e Ilhas sem estudos prévios e privilegiando apenas um parceiro.
-
"Considero um escândalo pretender-se alienar a parte mais rentável do nosso SAMS - Hospital, Centro clinico Ambulatório e Postos Periféricos - aos Hospitais Privados de Portugal (HPP), ficando o Sindicato em minoria", diz a carta, a que a agência Lusa teve acesso.
-
"Considero ainda mais grave e uma irresponsabilidade inexplicável pretender-se fazer um negócio desses, sem primeiro se pedir a uma ou mais entidades especializadas e idóneas um estudo que habilite o Sindicato a tomar, de forma sustentada e transparente, as decisões que julge mais adequadas aos interesses dos bancários", acrescenta Arménio Santos na missina envida a cerca de 1.000 militantes dos TSD que são filiados no Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas (SBSI).
-
O SBSI tem tido vários contactos, ao longo de vários meses, com a HPP (do grupo Caixa Geral de Depósitos) que manifestou interesse em estabelecer uma parceria com o sindicato relativamente aos equipamentos médicos do Serviço de Assistência Médico-social (SAMS), que passaria pela obtensão da maioria do seu capital social.
-
O secretário-geral dos TSD, Arménio Santos, que antes de ser deputado do PSD era bancário e dirigente sindical, disse à Lusa que é inaceitável que o SBSI dê o exclusivo da negociação neste processo a um só parceiro.
-
"Não podemos, assim, dar qualquer tipo de cobertura a uma decisão destas", disse, reafirmando "a necessidade imprescindivel de serem feitos estudos prévios a qualquer opção relativa ao futuro dos SAMS".
-
Arménio Santos acusou ainda os presidentes do SBSI e do SAMS, ambos da tendência sindical socialista, de terem "preparado sigilosamente" o negócio com a HPP, sem informarem a tendência social democrata, que está na direcção do SBSI em coligação com os socialistas.
-
"Não tiveram a lealdade e a solidariedade de falar com a tendência social-democrata", acusou.
Os TSD estão a distribuir aos bancários em geral um folheto em que alertam para situação e divulgam a sua posição afirmando que não vão "embarcar em soluções unilaterais e pouco transparentes" em que "os SAMS partem numa situação fragilizada e minoritária".
-
O documento salienta ainda que os SAMS são "uma rede apetecível para qualquer grupo privado que opere na área da saúde", porque tªêm 120 mil beneficiários utentes fidelizados.
-
Os SAMS servem os sócios, e familiares, do SBSI, foram criados em 1976 e têm actualmente um hospital, um centro clinico ambulatório, 5 postos periféricos, 12 postos regionais e um lar de idosos.
-
O SBSI disse sexta-feira à Lusa que ainda não está nada acordado com a HPP pois adirecção do sindicato só aceitou negociar um protocolo que enquadre todo o processo negocial.
-
O sindicato também disse à Lusa que vai encomendar estudos para avaliar um eventual negócio de parceria com a HPP. (Jornal de Notícias)
-

1 comentário:

MANUEL disse...

VALEU A PENA QUE UM PUNHADO DE HOMENS BANCÁRIOS, ANTES E DEPOIS DO 25 DE ABRIL, TENHAM LUTADO TANTO PARA QUE ESTES PROFISSIONAIS,FICASSEM ABRANGIDOS POR UM ESQUEMA DE SAÚDE JÁ QUE, ATÉ ENTÃO, PAGAVAM TODAS AS DESPESAS INERENTES À COBERTURA DA SUA SAÚDE E DOS FAMILIARES.
É IGNÓBIL O QUE O SR. DELMIRO CARREIRA TENHA PORCEDIDO DESTA MANEIRA, ESCONDENDO DO RESTO DA DIRECÇÃO OS SEUS VELADOS INTERESSES, E NÃO DESSE A CONHECER AS SUAS INTENÇÕES AOS SINDICATOS DOS BANCÁRIOS DO NORTE E DO CENTRO.
IGNOROU TAMBÉM, ALÉM DOS ASSOCIADOS, A FEBASE - FEDERAÇÃO RECENTEMENTE CRIADA PARA ROSOLVER PROBLEMAS DE INTERESSE COMUN A TODOS OS BANCÁRIOS DE PORTUGAL.
ENFIM, MAIS UM CASO A SER JULGADO
NAS FUTURAS, MAS ANTECIPADAS, ELEIÇÕES